Lustre Gabriel: design contemporâneo no coração de Versailles

Construído no século XVII pelo extravagante rei Luís XIV, o Palácio de Versailles é objeto de fascínio desde a sua construção.

Este tradicional palácio barroco tornou-se o lar de uma peça importante do design contemporâneo: o Lustre Gabriel, assinado pelos célebres irmãos Ronan et Erwan Bouroullec e fruto de três anos de trabalho.

Mesmo com mais de 500 quilos, o Lustre Gabriel transpassa leveza e delicadeza, suspenso como um colar em um dos vários ambientes do palácio. Esta mistura entre o contemporâneo e o barroco tornou o lustre motivo de admiração, tornando-se um ponto focal inegável diante da suntuosidade clássica que o cerca.

Feito em cristais da Swarovski, o lustre tem 12 metros, e seu nome é uma homenagem a Ange-Jacques Gabriel, arquiteto que trabalhou para Luis XV. O lustre ainda sustenta a responsabilidade de ser a primeira peça contemporânea a habitar Versailles permanentemente.

As exuberantes joias de Jean Schlumberger

Conhecido especialmente por seu trabalho na renomada Tiffany & Co., na qual tinha acesso às melhores pedras, Jean Schlumberger desenvolveu joias exuberantes inspiradas na natureza.

Seu trabalho, marcado por uma curiosidade aguçada e grande inventividade, é considerado inigualável.

Suas criações ornaram grandes figuras do século XX, como Greta Garbo, a Princesa Marina da Grécia e Dinamarca, Wallis Simpson, Elizabeth Taylor e Audrey Hepburn.

Schlumberger nasceu na França, em 1907, em uma família de artesãos têxteis, o que contribuiu com seu desenvolvimento artístico.

Suas criações muitas vezes possuem estruturas intrincadas e fidelidade às formas de suas inspirações na natureza, revelando um altíssimo primor técnico e artístico.

8 dicas essenciais para a sua Urban Jungle

A “urban jungle”, ou “floresta urbana” é um estilo de decoração que vem conquistando cada vez mais pessoas. Trazendo uma sensação de aconchego e memórias afetivas das plantinhas da vó, o estilo se mostra exuberante e intimista. Confira algumas dicas que preparamos para você começar ou ampliar a sua florestinha 🙂

1. Caaaaalma!

Não é necessário gastar uma fortuna em plantas e vasos, nem lotar a sua casa de plantas do dia para a noite só porque ficou legal no Pinterest. Encontre o seu próprio estilo dentro do estilo, e comece aos poucos. Nunca se esqueça de que sua casa deve ser confortável para você, e isso não significar parecer com uma foto de revista. Coloque uma plantinha aqui e outra ali e vá testando conforme seu gosto.

2. Respeite a vontade das plantas

Cada planta possui necessidades específicas, e não adianta querer contrariá-las, então pesquise se suas plantinhas gostam de sol ou de sombra, de muita ou pouca água, se crescem muito ou pouco e se esse crescimento pode ser um problema no futuro…

Ao plantar diferentes espécies no mesmo vaso, agrupe-as de acordo com suas necessidades. Time que precisa de muita água vai para um lado, time que prefere menos água vai para o outro. Não adianta querer colocar um cactus no mesmo vaso de uma samambaia, pois suas necessidades são opostas e cedo ou tarde uma delas morrerá.

3. Samambaias!

Urban Jungle é um estilo exuberante, e se é exuberância que você deseja na sua florestinha, mas não sabe por onde começar, aposte nas samambaias. Elas tem um ar tropical e suas ramas fazem dão a impressão da planta ser maior do que realmente é.

4. Paleta de cores

Se você está pensando em trocar algum tapete ou sofá, busque combiná-lo com sua floresta. Isso também vale para a pintura das paredes. Verde, coral e objetos em madeira combinam muito bem com o estilo da urban jungle.

Mas lembre-se, não troque seus móveis sem necessidade.

5. Hortinha

Ter uma pequena horta também pode ser uma atividade super gostosa. Mesmo que você viva em um espaço pequeno, pode cultivar alguns temperinhos para incrementar seus pratos.

6. Quadrinhos

Os quadrinhos com temáticas vegetais também podem ser uma ótima opção para a sua florestinha, brincando com as plantas reais e os diferentes estilos de ilustração ou fotografia.

7. Brinque com as alturas

Nas florestas, as plantas estão em diferentes alturas. Reproduzir esse conceito na sua urban jungle ajuda a criar um ambiente dinâmico, além de permitir a visualização de todas as suas plantinhas. Para isso, coloque as plantas maiores no fundo, e as menores na frente, como nas fotos de escola 🙂

8. Ecologia

Além de ter uma urban jungle, que tal dar um passo além e repensar seus hábitos de consumo? Considere um estilo de vida mais ecológico, e pesquise sobre a redução de plástico e resíduos, bem como a diminuição no desperdício de comida, energia e água.

6 coisas que todos os designers sentem quando veem seus projetos publicados

Não importa o tamanho do projeto, se é carne fresca ou macaco velho na área, todo designer quer ver seus projetos publicados, e sempre bate aquela ansiedade.

Confira 6 coisinhas que passam na mente dos designer nesse dia de glória (ou de tragédia!).

1. Ansiedade doida

Você está começando, e o cartãozinho de visita da sua tia manicure chegou. Você não lucrou muito com o job (se é que ganhou alguma coisa), mas mesmo assim a ansiedade de abrir a caixinha da gráfica online e encontrar um monstro é enorme.

Bem, se você roer todas as suas unhas pelo menos sua tia pode dar um jeito.

2. Desapontamento

Daí você abre o pacote e nheeeeeem, vê que não era bem assim que sua arte foda estava na tela do computador. As cores ficarem estranhas, as fontes ou ficaram muito grandes ou muito pequenas, e não teve todo aquele impacto que tinha na telinha. Talvez fosse melhor você ter feito mais alguns testes antes de enviar pra gráfica.

E então você sente que talvez não seja o maior designer de todos os tempos…

Acho melhor eu… trancar o curso

3. Buscar justificativas (que tirem a culpa de você)

Ok, a merda está feita, hora de colocar a culpa em alguém, e é claro que foi a gráfica que não se comprometeu em cuidar do seu lindo arquivo como ele deveria. Ou, se você tiver um pouco mais de autoestima (e cara de pau), pode dizer que é uma obra conceitual e você se baseou em uma teoria muito doida da Bauhaus. Agora é só torcer pra desculpa colar…

Ah, pelo que me pagaram até que está bem bom…

4. Ou então o seu job pode estar realmente muito foda e você ficar super orgulhoso da sua prole

Siiim, tem vezes que o seu projeto fica muito bom! E daí você sente como se tivesse parido o seu maravilhoso Logo Júnior e fica super orgulhoso do seu lindo filho que vai conquistar o mundo (lágrimas para os mais dramáticos).

5. Cheirar

Não importa o que você tiver feito, um cartão, uma embalagem ou um avião a jato, você vai arrumar um momento em que ninguém está olhando para meter seu narizinho nesse material novo. Se for algo de papel então, nem se fala!

6. Repetir este ciclo eternamente

Não importa o seu nível, do iniciante ao mais básico, você sempre vai ficar ansioso, animado e desapontado com seus trabalhos. Então, se você tiver chegado no mundo do design agora, prepare-se, pois esse ritual é eterno, no CMYK ou no RGB, na alteração ou na aprovação, até que a morte os separe.